Buscar
  • Dr. Pedro Gimenes - Enfoke Palestras Preventivas

Água sua aliada na prevenção do estresse, ansiedade e depressão !

Diariamente um adulto sedentário em um meio ambiente neutro necessita de aproximadamente 2,5 L de água. Porém para um adulto ativo em um meio ambiente quente e úmido essa necessidade pode chegar à quantidade entre 5 e 10 L de água por dia (MCARDLE, KATCH & KATCH, 2008).


A água não possui nenhum valor calórico e por isso raramente é considerada como nutriente. Porém, sua importância para a manutenção da vida só fica atrás do oxigênio.


Alguns autores colocam que em média cerca de 60% da massa corporal é constituída por água, ou seja, 42 litros para um indivíduo pesando cerca de 70 Kg. No recém-nascido, esse valor pode atingir 75% do peso corporal; todavia, diminui progressivamente desde o nascimento até a idade adulta, sendo que a maior parte dessa redução ocorre nos 10 primeiros anos de vida. Além disso, a obesidade diminui a percentagem de água do organismo, chegando, algumas vezes, a 45%. (GUYTON, 1997, p.238).


A água constitui de 40 a 70% da massa corporal, dependendo de idade, sexo e composição corporal; representa de 65 a 75% do peso do músculo e cerca de 10% da massa de gordura


Podemos sobreviver a perdas de até 40% de nosso peso corporal de carboidratos, proteínas e gorduras. Mas uma perda de apenas 9% a 12% do peso corporal de água pode levar um indivíduo a morte. A água é importante em muitos processos do organismo, assim como, no transporte do corpo e o meio reativo; nutrientes e gases viajam em solução aquosa; os produtos de desgaste deixam o corpo através da água existente na urina e nas fezes; a difusão dos gases se dá na presença de superfícies umedecidas pela água; a água, em combinação com várias proteínas, lubrifica as articulações e protege contra o choque vários órgãos, tais como o coração, os pulmões, os intestinos e os olhos.




Desidratação: Estresse e Ansiedade


A desidratação pode causar estresse, e o estresse pode causar desidratação. Quando estressadas, suas glândulas supra-renais bombeiam cortisol aumentado, o hormônio do estresse. Sob estresse crônico, eles podem ficar exaustos.

Suas glândulas supra-renais também produzem o hormônio aldosterona, que ajuda a regular os níveis de líquidos e eletrólitos do seu corpo. À medida que a fadiga adrenal progride, a produção de aldosterona diminui, desencadeando desidratação e baixos eletrólitos.

Por isso, beber bastante água pode ajudar a minimizar os efeitos fisiológicos e psicológicos negativos do estresse.


Assim como a depressão, a desidratação raramente causa ansiedade por si só. Mas não beber água adequada coloca você em risco de aumentar os sintomas de ansiedade agora e, possivelmente, o desenvolvimento de níveis mais altos de ansiedade no futuro.


Em resumo, a desidratação causa estresse e, quando seu corpo está estressado, você experimenta depressão e ansiedade como resultado.


Portanto, você precisa garantir uma hidratação adequada diariamente, especialmente se você é naturalmente propenso a ansiedade.

Foi demonstrado que a água tem propriedades calmantes naturais, provavelmente como resultado do tratamento dos efeitos da desidratação no corpo e no cérebro.


Por isso, beber água suficiente é um passo importante para gerenciar sua ansiedade. Mesmo se você não estiver sentindo ansiedade, beber água suficiente pode criar sentimentos de relaxamento.

E lembrando que se você sente sintomas de depressão, procure ajuda!

E além da hidratação, mantenha uma boa alimentação.




Deixe seu comentário.


Conheça nossas palestras de saúde em www.enfoke.com.br e promova mais qualidade de vida na sua empresa !


14 visualizações